Mercado se anima com Previdência, mas já aposta na reforma tributária


Funcionários do BNDES também comemoram recuo de por recursos do PIS/Pasep para reduzir o rombo previdenciário

No calor da nova versão do relatório da Previdência apresentado nesta terça (2), as primeiras impressões de executivos mais cautelosos foram as de que o mercado vai ter alguma euforia, similar ao que ocorreu após a eleição de Bolsonaro. Mas o efeito financeiro final pode ser muito diferente do estimado.

A avaliação é que tudo se encaminha para que o Congresso leve o mérito da reforma da Previdência, mas se a economia não decolar, ainda será possível apostar as poucas fichas que restam na tributária.

O relator do texto da Previdência, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), deixou estados e municípios fora de seu relatório na comissão especial da Câmara. O texto agora irá à votação na comissão especial.

A previsão é de que seja votado nesta quarta-feira (3) ou quinta (4), a depender das articulações entre os deputados.

Funcionários do BNDES comemoraram o recuo do relator da ideia de destinar recursos do PIS/Pasep, que hoje são usados pelo banco, para reduzir o rombo da Previdência Social.

“Teria sido um golpe fatal na instituição e no investimento no Brasil”, disse Arthur Koblitz, vice-presidente da AFBNDES.

A indústria também se animou. Investidores receberam com prudência.

“Investidores externos já tomaram posições aqui, talvez não iguais às que teriam se as reformas já passassem. Agora, vão retirar a posição se elas não ocorrerem ou se perderem velocidade? Não vão", diz Carlos Takahashi presidente-executivo da BlackRock no Brasil.

Folha de SP

#sindnews

Posts recentes

Ver tudo

Seguir:

Endereço

Telefone

(15) 3229.2990

Sugestões, dúvidas ou reclamações?

Preencha o formulário abaixo