top of page

Sindicato intervém, e Santander volta a reduzir horário de agência

Agências do banco, em geral, estão fechando às 15h, o que já é um desrespeito ao horário negociado com a Fenaban (até as 13h). No caso de unidade em Moema, o Santander ampliou mais ainda, passando a fechar às 17h. Após atuação do Sindicato, encerramento voltou a ser 15h


O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região segue atento na defesa da categoria diante da pandemia. Na semana passada, interveio quando o Santander, de forma unilateral e desrespeitando as normas de segurança contra a covid-19, estendeu em duas horas o horário de funcionamento da agência Maracatins, em Moema (zona sul), passando a fechar a unidade apenas às 17h, ao invés das 15h. Após a pressão do Sindicato, o Santander retomou o horário anterior: das 9h às 10h para atendimento especial (a idosos, por exemplo) e das 10h às 15h para os demais clientes.

É importante ressaltar que o horário inicialmente negociado com a Fenaban (federação dos bancos) era até as 13h. E o Santander foi um dos primeiros bancos a desrespeitar o acordo, passando a fechar suas agências somente às 15h.

“Ou seja, o caso dessa unidade já é uma nova extensão do atendimento. Um absurdo, que coloca em risco a saúde dos trabalhadores. Quando questionamos, os representantes do banco disseram que o horário estendido na agência Maracatins ocorreu apenas numa terça-feira, para atender aos clientes idosos. Mas nós verificamos que na sexta-feira 22 a agência continuava aberta até as 17h e novamente reclamamos com o banco. Depois constatamos, já na quarta-feira 27, que a unidade voltou a fechar às 15h”, conta o dirigente do Sindicato e bancário do Santander Cássio Murakami.

Ao banco, Cássio argumentou que o atendimento aos idosos já é feito em horário especial, e levantou outras questões. “Se um cliente de 20 anos entrar, o banco pode recusar o atendimento? E se esse cliente chegar às 16h55 e ficar até as 18h, o banco vai pagar hora extra aos funcionários? Lembrei ainda que o estado de São Paulo está em fase laranja e, a partir das 20h, na fase vermelha, como garantir que a trabalhadora ou trabalhador chegue em casa com segurança?”, relata o dirigente.

Desde o dia 27, a unidade funcionou no horário anterior. “Passamos por lá e constatamos que o funcionamento voltou ao horário adotado anteriormente: das 9h às 15h. Vamos continuar atentos e fiscalizando para que os bancos não descumpram os protocolos de segurança contra coronavírus. Mas é importante destacar que para isso precisamos da participação dos bancários. Se seu banco estiver desrespeitando o acordado com o Sindicato, denuncie”, destaca.

Fonte: SPBancários


Comentarios


bottom of page