top of page

Federação SP/MS discute prioridades da Campanha em Conferência Interestadual

Debate contou com a participação expressiva dos Sindicatos


A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul realizou nesta quinta-feira, 02, por meio de videoconferência, sua Conferência Interestadual. O encontro objetivou debater as prioridades para a Campanha Nacional 2020 e reuniu os 23 sindicatos filiados dos dois Estados. A programação contou com as palestras do sociólogo e assessor técnico das centrais sindicais, Clemente Lúcio, que falou sobre a atual conjuntura política e da economista do Dieese Vivian Machado, que apresentou números dos dados do sistema financeiro bancário.

“O maior desafio é rediscutir o papel do Estado diante de uma nova economia, onde os pequenos e médios negócios, que oferecem grandes resultados para a nossa economia estão entre os principais impactados e o nosso papel é evitar que ao término de tudo isso, tenhamos milhares de desempregos. Para isso, temos que atuar muito rapidamente, sob uma nova perspectiva econômica, com muito rigor, força e iniciativa positiva para enfrentarmos tudo o que estamos vivendo”, explica o sociólogo.

Com relação ao sistema financeiro bancário, a economista ressaltou as diversas formas de atendimento. “O fechamento das agências nos últimos dois anos e o crescimento significativo dos serviços executados por meio dos aplicativos bancários nos aparelhos celulares são os principais destaques notados”, apresentou Vivian Machado, da Dieese.


Debate

O debate incluiu a abordagem de temas como a Campanha Nacional Unificada, Bancos Públicos e Privados, Defesa da renovação da CCT em acordo por dois anos, questões relativas ao Teletrabalho, recomposição da inflação e aumento real em todas as verbas, renovação do acordo da PLR, entre outros. 

Entre as propostas aprovadas pelos sindicatos estão: Defesa da Democracia, Defesa do Emprego, Previdência Complementar, Defesa dos Bancos Públicos e Defesa da Saúde e de melhores condições de trabalho. 

“O debate sobre a conjuntura política econômica objetivou subsidiar as negociações da categoria com data base pra setembro de 2020. Foi um alinhamento essencial para o fortalecimento da nossa campanha, com as negociações iniciadas em meio a este turbulento momento no país. Uma fase complexa, mas que demonstra a força do movimento sindical para construir junto da sociedade uma outra política social e econômica. Mais do que nunca, reforçamos a importância dos bancários trabalharem em conjunto com os sindicatos para alcançarmos nossos objetivos”, conclui o presidente da Feeb, Jeferson Boava.


FEEB SP/MS




Comentarios


bottom of page