Negociações com o Grupo Alfa sobre desconto na RV avançam


Empresa reconheceu que mudanças no programa de remuneração variável não foi uma “decisão feliz”.

A direção do Grupo Alfa reconheceu, em reunião realizada nesta terça-feira, 10 de março, que a mudança no programa de remuneração variável (RV), implementada em outubro de 2019, não foi uma “decisão feliz”. No encontro, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) cobrou o estorno dos descontos na RV realizados desde novembro do ano passado; a suspensão de qualquer desconto mensal da RV na Participação nos Lucros e Resultados (PLR) da CCT até junho deste ano; e a negociação de Programa Próprio de Remuneração com a entidade, contemplando todos os trabalhadores do grupo. O Grupo Alfa se comprometeu a responder todas as reivindicações até a sexta-feira (13). “A PLR é uma das grandes conquistas do movimento sindical, os bancários e financiários foram os primeiros a garantir esse direito, na campanha salarial de 1995. A conquista só veio com muita luta!”, relembra Katlin Salle, secretária do Ramo Financeiro do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários, Financiários e Empresas do Ramo Financeiro de Curitiba e região, que participou da reunião. “A PLR é o pagamento pelo esforço dos trabalhadores que, durante todo o ano – muitas vezes, à custa de metas abusivas e assédio moral –, trabalham para atingir os lucros altíssimos dos bancos. O recebimento da PLR não está condicionado a nenhum programa de RV. Não vamos permitir nenhum desconto na PLR da CCT”, acrescenta. “A decisão de fazer o desconto dos trabalhadores foi inteiramente da Financeira e do Banco Alfa, exigimos que essa decisão seja reconsiderada e que qualquer decisão nessa magnitude passe pelo Sindicato da categoria e, mais importante, tenha a aprovação dos trabalhadores”, conclui Katlin. “Agora, nossas expectativas são de que as justas reivindicações, formalizadas em e-mail enviado após a reunião, sejam atendidas em sua totalidade, beneficiando não só os funcionários do Grupo Alfa que são submetidos ao cumprimento de metas, mas sim todos os bancários e financiários da empresa”, completou Jair Alves, coordenador de negociação das Financeiras da Contraf-CUT. Entenda o caso A Contraf-CUT recebeu denúncias de Sindicatos de todo o Brasil sobre uma possível prática irregular do Grupo Alfa para descontar o valor total da PLR dos seus trabalhadores deduzindo-o, em 12 vezes, da remuneração variável (RV) dos funcionários que são submetidos ao cumprimento de metas. A irregularidade teria começado em outubro de 2019. No final de janeiro, a entidade já havia recebido denúncias de descontos da PLR sobre a remuneração variável. Na primeira reunião, o Grupo Alfa negou a irregularidade e se comprometeu a apresentar todas as informações que comprovariam que a PLR clausulada na Convenção Coletiva de Trabalho da categoria estaria sendo integralmente respeitada. Entretanto, as denúncias continuaram chegando aos Sindicatos e as informações inicialmente enviadas pela empresa mostraram-se insuficientes para a devida verificação do correto pagamento integral tanto da PLR, como da remuneração variável.

Fonte: Contraf-CUT

#Alfa

Posts recentes

Ver tudo

Seguir:

Endereço

Telefone

(15) 3229.2990

Sugestões, dúvidas ou reclamações?

Preencha o formulário abaixo