SP precisa treinar 3,3 milhões de trabalhadores para indústria


No país, profissões ligadas a tecnologia estão entre as que mais devem crescer

O estado de São Paulo precisa qualificar 3,3 milhões de profissionais para ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento até 2023, segundo o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). A maior parte da demanda é de trabalhadores que já estão empregados e precisam de uma formação continuada, um aperfeiçoamento. Cerca de um quarto necessita de formação inicial, para entrar no mercado de trabalho e ocupar vagas novas ou substituir profissionais que se aposentaram. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Senai. O estudo, feito com base em estimativas sobre o comportamento da economia brasileira, projeta a demanda futura por formação profissional e o impacto no mercado de trabalho. As áreas de nível técnico que mais vão demandar a capacitação de profissionais no estado são transversais, metalmecânica, logística e transporte, eletroeletrônica, informática. Já para nível superior, informática, gestão, metalmecânica, construção e produção são as que mais vão exigir profissionais qualificados, afirma a pesquisa. A ocupação de nível superior com maior demanda de capacitação é analista de tecnologia da informação, que fica muito na frente das outras: a demanda esperada é de 140 mil profissionais. Em seguida, mas em patamar menor do que 20 mil trabalhadores, estão: gerentes de produção e operações em empresa da indústria extrativa, de transformação e de serviços de utilidade pública; engenheiros civis; engenheiros de produção, qualidade e segurança; gerentes de tecnologia da informação; engenheiros mecânicos; entre outros.

O Mapa do Trabalho Industrial também trouxe dados de outros estados. O Rio de Janeiro, por exemplo, terá de qualificar 656 mil trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento até 2023. Já Minas Gerais precisará de 1,17 milhão. O estudo aponta ainda que o país necessita qualificar 10,5 milhões de trabalhadores para ocupações industriais entre 2019 e 2023. De acordo com o Mapa, profissões ligadas à tecnologia estão entre as que mais devem crescer nos próximos anos. A função de condutor de processos robotizados terá a maior taxa de crescimento percentual do número de empregados no período, 22,4%. Como comparação, o crescimento médio estimado para as ocupações industriais é de cerca de 8,5%. Em seguida aparecem as profissões de técnicos em mecânica veicular; engenheiros ambientais e afins; pesquisadores de engenharia e tecnologia; profissionais de planejamento, programação e controles logísticos; entre outros.

Folha de SP

#sindnews

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo