Portabilidade de salário avança e incomoda instituições


O Banco Central avalia que os grandes bancos estão incomodados com a nova regra da portabilidade de salários e entende que a reação das instituições é um sinal de que a medida, que alavancou os pedidos de transferência de depósitos, já está sendo relevante para impulsionar a competição no setor.

“A quantidade de gente de banco que eu vejo reclamando da portabilidade de salário é enorme”, disse Ilan em entrevista recente ao Valor. Segundo Ilan, as queixas dos bancos não chegam de forma direta em relação à portabilidade, mas por meio da manifestação de preocupações com fraudes potenciais e com riscos à segurança.

“A reclamação é sempre onde a gente tem mais sensibilidade: [Dizem] ‘Vai aumentar a fragilidade do sistema; vai ter fraude; como é que eu sei que estou mandando [dinheiro] para o lugar certo’ “. A reação do BC, afirmou Ilan, foi atender todos os pedidos dos bancos que diziam respeito a segurança, mas não ceder na questão da portabilidade. Procurada, a Febraban disse que não comentaria.

A portabilidade, que já era permitida mas não funcionava bem na prática, começou a ganhar força a partir de julho, com a autorização para que o pedido de transferência automática de depósito em conta salário seja feito diretamente no banco para o qual o assalariado quer migrar seu pagamento. As solicitações são registradas em plataforma mantida pela Câmara Interbancária de Pagamento (CIP). O modelo foi inspirado nas regras que regem a portabilidade na telefonia.

A norma do Banco Central também permitiu, pela primeira vez, que a transferência dos salários seja feita para contas de pagamento, espécie de conta corrente simplificada que pode ser totalmente digital e é oferecida por fintechs (empresas de tecnologia financeira) e também por bancos tradicionais. O objetivo foi alavancar a concorrência e estimular uma redução das taxas cobradas pelos bancos. Desde que o Banco Central alterou a regra, foram apresentados 1,112 milhão de pedidos de transferência de recursos de conta-salários para outras instituições pela nova sistemática, dos quais 615,7 mil foram aceitos.

Desde que o Banco Central alterou a regra, foram apresentados 1,112 milhão de pedidos de transferência de recursos de conta-salários para outras instituições pela nova sistemática, dos quais 615,7 mil foram aceitos.Do total de solicitações, 5,49% (61.082) visavam a transferência para contas de pagamento. Ilan afirmou que, enquanto a transferência do salário dependia de o cliente procurar o banco em que tinha conta-salário para solicitar a transferência, a portabilidade esbarrava na resistência dos próprios correntistas em fazer o pedido. “Muita gente se sente compelida a ficar no seu banco; fica com preguiça de mudar”, diz o presidente do BC.

Fonte: Contec

#sindnews

Posts recentes

Ver tudo

Seguir:

Endereço

Telefone

(15) 3229.2990

Sugestões, dúvidas ou reclamações?

Preencha o formulário abaixo