Protesto não muda absolutamente nada, diz relator da Previdência


O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), afirmou nesta quarta-feira (15) que as manifestações não mudam "absolutamente nada" o relatório que apresentará à comissão. O que pode influenciar o parecer, segundo ele, é o pensamento dos parlamentares.

Manifestações contra a proposta do governo ocorreram em pelo menos 19 capitais estaduais e no Distrito Federal nesta quarta-feira.

"Do ponto de vista da cabeça do relator, isso [pressão popular] não muda absolutamente nada. [...] O que pode influenciar o meu ponto de vista são as emendas que foram apresentadas, porque aí sim diz respeito ao pensamento dos parlamentares", disse.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

As mudanças propostas na aposentadoria

Brasileiro teria que contribuir ao menos 49 anos para ter direito a aposentadoria integral

Nova fórmula da reforma proposta pelo governo reduz valor final da aposentadoria

Saiba qual a melhor hora para se aposentar

Tire 50 dúvidas sobre aposentadoria e reforma da Previdência proposta pelo governo

Calculadora da aposentadoria: em que ano parar de trabalhar para não ter desconto

Oliveira Maia afirmou, ainda, que não viu nenhuma manifestação com "relevante apoio popular", mas destacou que se trata de um "direito democrático".

O relator voltou a dizer que a proposta será aprovada pelo Legislativo com alterações em relação ao texto original. "A reforma passará. Agora, naturalmente, como todas as reformas previdenciárias que já aconteceram neste país, todas sofreram alterações, aperfeiçoamentos. Esta não será diferente", disse.

Nesta terça-feira (14), em estratégia para evitar mudanças na proposta original, o governo Michel Temer cobrou que o relator da reforma previdenciária, Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), evite se posicionar publicamente contra a iniciativa enviada pelo Palácio do Planalto.

Durante reunião com a base aliada, foi repassada a orientação de que os parlamentares governistas não podem "falar de maneira negativa" do texto governamental e que é necessário unificar o discurso "para evitar ruídos" na discussão da proposta.

Folha de SP

#sindnews

Posts recentes

Ver tudo

Seguir:

Endereço

Telefone

(15) 3229.2990

Sugestões, dúvidas ou reclamações?

Preencha o formulário abaixo