Criatividade e pensamento crítico serão essenciais para as carreiras


Nada será como antes no mundo das carreiras. Até 2020, 35% das habilidades mais procuradas hoje na maioria das ocupações vão mudar completamente por conta de avanços tecnológicos e fatores socioeconômicos, segundo o relatório "O Futuro do Trabalho", do Fórum Econômico Mundial.

Entre as capacidades profissionais que serão mais buscadas nos próximos anos estão a inteligência emocional, o pensamento crítico, a empatia e a criatividade, é claro.

A economia criativa -entendida como mix de cultura, artes, economia e tecnologia ou, ainda, como o conjunto de atividades capazes de gerar mais valor agregado a um produto ou serviço- está em expansão rápida.

"Profissionais criativos geram produtos e serviços que fazem sentido para o consumidor, desde exposição em museu a carro com excelente design", ilustra Gabriel Pinto, gerente do programa Indústria Criativa da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro).

No mundo, o comércio de bens e serviços criativos somou US$ 547 bilhões em 2012, sendo que em 2003 foram US$ 302 bilhões, mostra estudo da ONU sobre o tema.

No Brasil, a área movimenta R$ 126 bilhões, ou 2,6% de tudo o que o país produziu em 2013, de acordo com os dados mais recentes da Firjan. Em 2013, eram quase 900 mil profissionais empregados na área, metade concentrados em São Paulo e no Rio.

"Todo setor precisa ter criatividade e inovação como parte do DNA ou não sobreviverá", diz a economista Lídia Goldenstein, para quem as ocupações criativas são as únicas que resistirão. "Estudos mostram que de 30% a 40% dos empregos vão desaparecer e serão substituídos pelo computador."

COMUNIDADE

Num olhar mais distante, o futurologista Daniel Egger prevê um cenário em que a carreira não terá um papel tão central na vida. "Poderemos morar em comunidades, nos educando em culturas diferentes, imprimindo comida, livros e objetos e mantendo-nos conectados ao mundo."

Egger diz que é preciso falar de "quais habilidades de futuro serão necessárias para você ser competitivo ou para realizar o propósito de viver -em vez de sobreviver."

Uma habilidade de futuro é a capacidade de inventar nichos de atuação e reinventar os existentes -já bastante praticada no presente, como mostram alguns exemplos de carreiras e de profissionais comprometidos com inovação nas fotos acima.

Folha de SP

#sindnews

0 comentário