Demissões no Bradesco no Amazonas


Nas duas últimas semanas, o Sindicato dos Bancários do Amazonas homologou inúmeras rescisões de contrato de trabalho de funcionários do Bradesco. A entidade sindical detectou que os funcionários desligados são os mais antigos, assim o banco, não leva em consideração toda a experiência, esforço e dedicação dos colegas que doaram anos de suas vidas a serviço do banco.

O lucro do banco Bradesco recuou no primeiro trimestre de 2016, segundo balanço divulgado. No período, a instituição registrou ganho de R$ 4,121 bilhões - resultado 5,3% abaixo do obtido no quarto trimestre de 2015 e 2,9% inferior ao lucro informado nos três primeiros meses do ano passado. Por conta disso, o Bradesco optou em primeiro lugar em reduzir o quadro funcional, por que o banco visa a prioritariamente o lucro, não há preocupação com o social e geração de posto de trabalho. A visão é: reduzir os gastos com pessoal e manter o lucro em ascensão. A instituição não avalia quantos pais e mães de famílias necessitam do emprego para manter filhos, filhas, netos e netas.

Mesmo o banco demitindo os funcionários que já estão aposentados pelo o INSS, isso não justifica o desligamento, pois no Amazonas há carência de bancários em todas as agência, tanto na capital como nos demais municípios, todas as agências se encontram lotadas de clientes e usuários. Os funcionários do Bradesco estão trabalhando no limite do esforço físico e mental. É como não bastasse as demissões, o banco não está contratando novos funcionários para preencher as vagas deixadas pelos os funcionários desligados, pior ainda, não contratar para atender a demanda no estado. E na última reunião dos trabalhadores (sindicato) com a diretoria de relações sindicais do Bradesco, ocorrido dia 21/06, na Matriz, o Bradesco não garantiu a manutenção de emprego dos funcionários do HSBC, mesmo afirmando que não haverá demissão (se contradizendo pois na nossa avaliação se não haverá demissão porque não garantir).

O Sindicato dos Bancários do Amazonas não pactua com as demissões que o banco está praticando. Caso o banco continuar essa prática, o SEEBAM ingressará ao MPT, para que o procurador acompanhe esse caso. Já que a instituição tem vultosos lucros em nosso estado e não colabora com o social: tanto na criação de posto de trabalho e deixando toda a população horas e horas a fio nas filas, em alguns casos no interior a população fica expostas ao sol e chuva fora das agências.

Fonte: Seeb AM

#bradesco

Seguir:

Endereço

Telefone

(15) 3229.2990

Sugestões, dúvidas ou reclamações?

Preencha o formulário abaixo