Grupo tenta roubar empresa de valores e mata policial em Ribeirão


Um policial rodoviário foi morto após um ataque cinematográfico a uma empresa de transporte de valores em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo) na madrugada desta terça-feira (5).

Com cerca de 20 homens, a quadrilha utilizou caminhões e até uma retroescavadeira para bloquear ruas no entorno da empresa Prosegur, no bairro Campos Elíseos. O grupo detonou explosivos e trocou tiros com a polícia por cerca de uma hora. Há marcas de tiros de metralhadoras calibre 50 –usadas em baterias antiaéreas– e fuzis em imóveis das redondezas.

O ataque ocorreu por volta das 4h e deixou a região da empresa no escuro, após os criminosos atirarem em cinco transformadores de energia elétrica. Ao menos 2.000 imóveis ficaram sem energia.

Às 7h40, 95% das unidades atingidas tiveram o serviço normalizado devido a manobra na rede, que garantiu o fornecimento de energia aos clientes por outras fontes. O acesso ao local está interditado pelas autoridades policiais, o que impede as equipes da CPFL de fazerem os reparos no local neste momento.

Foram ouvidas ao menos três explosões no local e, na fuga, atearam fogo em veículos para dificultar a ação policial. Não foi informado se a quadrilha conseguiu levar o dinheiro.

Após a ação, a quadrilha fugiu rumo à rodovia Anhanguera. No anel viário da cidade, policiais rodoviários estavam posicionados para tentar interceptar os criminosos e foram atacados pela quadrilha.

Segundo relatos feitos à Folha, os policiais se deitaram para não serem atingidos e o cabo Tarcisio Wilker Gomes, ao tentar se levantar para pegar o rádio do veículo e pedir apoio, foi atingido com um tiro na cabeça.

Ele foi socorrido ao HC (Hospital das Clínicas) de Ribeirão, mas morreu. Casado e pai de uma criança de oito anos, Gomes estava no policiamento rodoviário havia 13 anos.

A avenida da Saudade, onde fica a empresa, só foi liberada para o tráfego por volta das 8h desta terça.

A Prosegur apenas informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que nenhum de seus funcionários foi ferido e que está colaborando com as investigações. Não foi informado se a quadrilha conseguiu levar o dinheiro.

Fonte: Folha de SP

#sindnews

Seguir:

Endereço

Telefone

(15) 3229.2990

Sugestões, dúvidas ou reclamações?

Preencha o formulário abaixo