Caixa negocia prorrogar acesso à sua rede para venda de seguros com CNP


A primeira ação do novo presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, para fortalecer o capital da instituição será a negociação do direito de acesso ao seu balcão para a venda de produtos de seguridade. "Antecipamos as discussões com a CNP Assurances, nossa parceira na área, sobre o direito de acesso ao nosso balcão", disse Occhi ao Valor. Hoje, o acordo vai até 2021, e as conversas giram em torno de antecipar o vencimento e fechar um novo acordo pelo prazo de 20 anos. Esse seria um arranjo não apenas para dar maior clareza para o mercado na planejada abertura de capital da Caixa Seguridade, mas também para levantar recursos novos, já que a CNP Assurances ou outro sócio que eventualmente seja escolhido deverá pagar pelo direito ao balcão. Occhi deixa claro que o propósito de operações como essa é fortalecer o capital para dar sustentação à continuidade da expansão do crédito em áreas prioritárias, como imobiliário e infraestrutura, e atender aos requerimentos de capital de Basileia 3. Não há, disse, nenhum esqueleto dentro do banco a ser coberto. Ainda estão sendo feitas as estimativas de valor, mas a perspectiva da Caixa é que a venda do direito de balcão dê fôlego ao banco para atravessar 2017 sem a necessidade de eventuais aportes de capital. Ao contrário da abertura de capital da Caixa Seguridade, que foi adiada devido à situação desfavorável no mercado acionário, o acesso ao balcão da Caixa é uma negociação que depende da avaliação feita apenas por ambas as partes sobre o potencial geração de caixa. "Não estamos restritos a uma operação, estamos trabalhando em várias frentes", disse Occhi, um funcionário com 36 anos de carreira na Caixa que já foi ministro de Cidades e de Integração Nacional. "Em loterias, poderemos levar adiante a operação também independentemente das condições do mercado." Isso deve ser feito ainda neste ano

Fonte: Valor

#caixafederal

0 comentário