• Sindicato dos Bancários

Para 67%, corrupção causou crise econômica, diz Datapopular


Meirelles afirma que governo e oposição fizeram estelionato eleitoral (KENNEDY ALENCAR) O presidente do Datapopular, Renato Meirelles, diz que pesquisa do instituto “mostrou que, para 67% dos brasileiros, a corrupção é a principal motivadora da crise econômica que o nosso país vive hoje”. Segundo ele, a percepção é que o preço da gasolina subiu por causa da corrupção na Petrobras.

“A corrupção passou a ser vista como a de toda essa crise econômica. E é por isso que o brasileiro nunca esteve tão intolerante com relação à corrupção”, afirma Meirelles.

De acordo com ele, o governo e a oposição recorreram a estelionato eleitoral na campanha de 2014. A presidente Dilma Rousseff frustrou o eleitorado que votou nela por não cumprir o que prometeu.

Já a oposição defendeu austeridade mas votou a favor da “pauta-bomba”. Na opinião de Meirelles, “a oposição errou ao não conseguir apontar uma solução para a economia do país”.

“O estelionato existiu dos dois lados”, avalia.

Segundo Meirelles, o ex-presidente Lula seria o candidato mais “competitivo” em 2018 “em condições normais de temperatura e pressão”. Ele considera que a elevada taxa de rejeição do petista diminuiria e que outros presidenciáveis também índice objeção nas alturas.

No entanto, Meirelles não crê que em 2018 haverá um cenário com condições normais de temperatura e pressão. “Não é o que eu acho que vá acontecer nas próximas eleições presidenciais. O cenário de descontentamento com a classe política é tão grande, a insatisfação popular é tão grande, que pode surgir um nome que ainda não está posto nas candidaturas [atuais].”

Indagado se via risco de um “outsider”, um salvador da pátria, responde: “Vejo, sim, um risco do “outsider”, mas não acredito que qualquer “outsider” seja necessariamente um novo Collor ou um aventureiro. É possível que venha um “outsider” que tenha, sim, muito a contribuir para que o Brasil consiga voltar a crescer, voltar a oferecer igualdade de oportunidade a todos, que é a maior demanda da população.”

Meirelles acredita que, se o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso orientar o próximo candidato tucano a presidente, isso elevará a chance do PSDB na disputa. Para ele, se Marina Silva (Rede) tiver aprendido com os erros em duas campanhas, poderá ser forte candidata na próxima sucessão presidencial.

O presidente do Datapopular acha que o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, tem chance de reeleição, apesar das baixas popularidade e intenção de voto: “Podem me chamar de maluco, mas tem. É um dos favoritos hoje na eleição municipal. […] Começa a se constituir um rol de candidatos tão diversificados em que, sim, o Fernando Haddad, com o discurso pró-cidade, talvez consiga convencer parcela do eleitorado de que ele deva continuar e ter um segundo mandato”.

A respeito da Operação Lava Jato, Meirelles afirma: “É importante nem que seja para botar medo nas empresas e nos políticos. A gente pode discutir se a forma de condução da Lava Jato foi a forma que melhor respeitou os preceitos democráticos de ampla defesa, isso é uma discussão. Mas é indiscutível o papel educativo que a Lava Jato tem para deixar muito claro de que não existe meio ladrão. Ladrão é ladrão. E não dá para a ladroagem conviver com a democracia”.

Fonte: iG

#sindnews

0 comentário

Seguir:

Endereço

Telefone

(15) 3229.2990

Sugestões, dúvidas ou reclamações?

Preencha o formulário abaixo