• Sindicato dos Bancários

De braços cruzados, bancários cobram proposta decente dos bancos


De braços cruzados. É assim que os bancários esperam a negociação desta sexta-feira 23. Agências de todas as regiões, em São Paulo, Osasco e região, estão paradas no 18º dia de greve. E, sem avanços, o movimento grevista segue firme.

A expectativa de uma proposta decente de reajuste e melhores condições de trabalho, entre outras reivindicações da categoria, era grande durante toda a tarde de quinta-feira, data que a federação dos bancos agendou para continuar a negociar. No entanto, o Comando Nacional dos Bancários, no final do dia, recebeu a notícia da Fenaban sobre o adiamento da rodada para a manhã desta sexta-feira (23).

Enquanto isso, a mobilização continua. Ao todo foram fechados 957 locais, sendo 950 agências e sete prédios administrativos, mobilizando cerca de 26 mil trabalhadores de São Paulo, Osasco e região, na quinta-feira.

Desde que as negociações foram retomadas, na terça-feira 20, os bancos vêm insistindo em apresentar propostas de reajuste abaixo da inflação. Primeiro foram 7,5%, depois 8,75%: índices que não chegam sequer a repor a inflação de 9,88% (INPC).

“Não vamos admitir”, afirmou a vice-presidenta das Contraf-CUT e presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira, uma das coordenadoras do Comando, após o anúncio de adiamento da reunião. “Os bancários, em greve há 18 dias, vão continuar parados até que os bancos apresentem proposta decente”, reforça.

Eles podem

Outros setores da economia como químicos e metalúrgicos, estão pagando aos seus trabalhadores reajuste que cobre a inflação. Com data base em 1º de setembro, como os bancários, dezenas de empresas do ABC paulista – mesmo diante dos efeitos da queda na venda de automóveis e caminhões – ofereceram aos seus empregados a garantia do índice que repõe a inflação de 9,88%.

O setor químico de São Paulo propôs aos seus funcionários a correção dos salários pelo INPC do período de novembro de 2014 a outubro de 2015, que deverá girar em torno de 10%. A data base da categoria é 1º de novembro.

Públicos

Banco do Brasil e Caixa Federal mantêm a sinalizacão de retomar as negociação específicas tão logo encerrada a mesa com a Fenaban.

Redes sociais

No Facebook e Twitter os bancários continuam mostrando sua insatisfação. No microblog, muitos tuitam mensagens com a hashtag #exploraçãonãotemperdão, que é o tema da Campanha Nacional Unificada 2015. Nesta sexta, das 10h às 14h, trabalhadores voltam a manifestar indignação no Twitter para pressionar os banqueiros e mostrar sua indignação com a falta de proposta decente.

Fonte: Seeb SP

#sindnews

0 comentário