Bancários de Sorocaba e região fazem assembléia e aprovam greve a partir do dia 6/10


Os bancários de Sorocaba e região fizeram assembléia nesta quinta-feira, dia 01 de outubro, para deliberar sobre a greve da categoria, que acabou sendo aprovada e terá início dia 6 de outubro em todo o território nacional, já que a campanha salarial da categoria é unificada e acontece simultaneamente em todo Brasil. A aprovação da greve foi unânime na sede do Sindicato dos Bancários de Sorocaba e Região, na cidade de Sorocaba, onde foi realizada a assembléia.

A categoria bancária já vem se reunindo há aproximadamente um mês com os banqueiros, para discutir questões trabalhistas e salariais. Sem acordo entre as partes, ficou decidido pela realização das assembléias para deliberação sobre a greve. A última proposta apresentada pelos bancos à categoria aconteceu durante rodada de negociação dia 25 de setembro, quando os bancos ofertaram apenas 5,5% de reajuste salarial e de vales, frente aos 16% pedidos pelos bancários. O movimento sindical classificou o índice como “muito abaixo da inflação, que ficou em 9,88% (INPC) em agosto deste ano, e significa perda real de 4% para os salários e demais verbas da categoria. A proposta inclui abono de R$ 2.500,00, não incorporado ao salário”.

“Estamos diante de um retrocesso, pois se aceitarmos esse índice de reajuste, nosso salário sofrerá perdas de ganho real. Os banqueiros estão prevendo uma inflação de 5,5% em 2016 no Brasil, mas não podemos arriscar num cenário tão instável como esse. É um desrespeito à categoria”, diz Julio Cesar Machado, presidente do Sindicato dos Bancários de Sorocaba e Região. Julio também explica que os bancos não são atingidos pela crise econômica nacional, pois os 5 maiores bancos lucraram R$ 36,3 bilhões somente no primeiro semestre deste ano, com um crescimento de 27,3% em relação ao mesmo período do ano passado. “Setores que estão em crise, com retração de produção e vendas, fizeram propostas melhores”, diz. Mesmo aprovando a greve por meio de assembléias, os bancários de todo Brasil ainda continuam abertos a uma nova proposta que contemple melhor os anseios da categoria. Os representantes dos bancários enviaram carta à Federação dos Bancos, nesta quarta-feira (30), reforçando que estão abertos a ouvir propostas neste sentido. Principais reivindicações da categoria Reajuste salarial de 16%. (incluindo reposição da inflação mais 5,7% de aumento real). PLR: 3 salários mais R$7.246,82. Piso: R$3.299,66 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último). Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$788,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional). Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários. Emprego: fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Federal, além da ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas. Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários. Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós. Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários, conforme legislação. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas. Abertura e fechamento remoto das agências, fim da guarda das chaves por funcionários. Igualdade de oportunidades: fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).

SEEB Sorocaba

#sindnews

Seguir:

Endereço

Telefone

(15) 3229.2990

Sugestões, dúvidas ou reclamações?

Preencha o formulário abaixo