Argentina denuncia HSBC por evasão e associação fiscal ilícita


Empresas de fachada eram criadas para evadir divisas e sonegar impostos, diz órgão do país A Administração Federal de Receita Pública (Afip) da Argentina denunciou na Justiça o banco HSBC por supostamente ajudar 4.040 contribuintes do país a sonegar impostos com aberturas de contas na Suíça, informou nesta quinta-feira (27) o titular do órgão, Ricardo Echegaray.

"No dia de ontem apresentamos uma denúncia por evasão fiscal e associação fiscal ilícita por contas bancárias de argentinos ocultas na Suíça. Denunciamos também a existência de uma plataforma ilegal montada por três entidades bancárias que operam no país, todas vinculadas ao HSBC", afirmou Echegaray em entrevista coletiva.

O titular da Afip explicou que a informação sobre as contas foi obtida após um acordo com o governo da França. Algumas delas foram abertas através de passaportes de dupla nacionalidade para criar uma espécie de "proteção extra".

As operações, detalhou Echegaray, foram realizadas em unidades do HSBC na Argentina, nos Estados Unidos e em Genebra. Empresas de fachada eram criadas para evadir divisas e sonegar impostos, segundo o responsável pela Afip.

Apesar de a investigação ter descoberto dados de 4.040 argentinos, empresas e particulares com contas suspeitas na instituição, só foram localizados até agora cerca de 300 pessoas.

A quantidade mínima de dinheiro nas contas é de US$ 3 bilhões. Echegaray afirmou que as sanções econômicas podem superar US$ 7,2 bilhões. Os envolvidos podem pegar até nove anos de prisão.

O titular da Afip denunciou também que o presidente do HSBC na Argentina, Gabriel Martino, e um grupo de altos executivos do banco também têm contas não declaradas na Suíça.

Fonte: Gazeta do Povo

#hsbc

0 comentário